Arquivo mensal: agosto 2010

Dando um tempo.

Manter blog cansa.

Um blog não é um site.

O blogueiro posta e os leitores comentam.

Em menos de um mês recebi mais de 1000 visitas, mas apenas 2 comentários. Isso dá a impressão de estar falando com o vento.

Vou dar um tempo por aqui. Continuarei divulgando apenas no Facebook.

Abraços.

Anúncios

Facebook – Corrida de Rua do RN

Criei um grupo no Facebook, o Corrida de Rua do RN. Farei as mesmas divulgações de corridas que faço aqui, mas com foco no Rio Grande do Norte.

Nos vemos no Facebook.

Saindo bem na foto – Meia Maratona de Natal

O site Hora de Correr promete ótimas fotos e um sistema inovador (aqui no nordeste) em fotografia de corridas de rua. A estréia será na Meia Maratona de Natal.

Clique aqui para saber mais.

Atrás do coelho

Usado por profissionais para imprimirem maior velocidade e quebrarem recordes, os marcadores de ritmo também podem ser proveitosos para corredores amadores

Por Maurício Belfante

Contratado para puxar o ritmo das grandes competições ou auxiliando alguma equipe, os coelhos, ou mundialmente conhecidos como pacemakers, são atletas de ótimo preparo físico que ajudam os favoritos a faturarem provas e quebrarem recordes, fornecendo um pace adequado durante a corrida.

Excelente para quem procura fazer uma prova com uma tática pessoal, os coelhos também podem servir de ajuda, como amparar o atleta na hora da hidratação, dando-lhe água, ou até mesmo enfrentando os fortes ventos, deixando o seu companheiro protegido.

“Os coelhos são mais do que importantes, tanto para os competidores quanto para os organizadores. Para o primeiro é um auxiliador de táticas e faz o corredor não ultrapassar ou diminuir o seu pace ideal. Já para a prova, a importância está em deixá-la mais rápida e emocionante tornando-a agradável e atraente”, afirma Rodrigo Lobo, diretor técnico da Lobo assessoria Esportiva.

Coelho para os amadores!
Criados na década de 1980 para imprimir ritmo e para serem um dos responsáveis pelas quebras de recordes, os coelhos estão sendo muito úteis nos tempos atuais, sendo importantíssimos também para amadores, que querem melhorar suas marcas pessoais.

“Como os pacemakers são contratados para não oscilarem no pace, eles contribuem bastante para os amadores, principalmente para os de alto nível, que planejam realizar uma distância em um tempo que o coelho vai conseguir fazer, como fazer os 10 km em 34 minutos”, diz Júlio Coelho, diretor técnico da assessoria esportiva que leva o seu nome.

Porém, é importante que o atleta saiba respeitar seu rimo, para evitar desgaste e lesões. “Se o corredor amador não tiver um nível técnico alto, a probabilidade dele quebrar por causa do coelho é grande, já que não tem um alto conhecimento tático”, completa Coelho.

Por este motivo, algumas provas contratam marcadores de ritmo que percorrem o trajeto da prova em tempos variáveis, para que todos participantes possam usufruir dos seus benefícios.

Pacemakers no seu treino
Ao correr em companhia, com uma assessoria, por exemplo, é fácil encontrar atletas que se destacam mais pela sua capacidade física e seus melhores tempos. Sendo assim, é recomendável em alguns treinos esses atletas serem os “coelhos da vez”, puxando o ritmo dos outros atletas, deixando a atividade mais recreativa.

“Esse tipo de treinamento é importante, pois os corredores vão descobrir os seus limites e irão realizar uma simulação de prova, além de deixar o corredor mais estimulado e motivado”, explica Lobo. Um amigo mais rápido também pode servir como coelho em determinados treinos.

Caso não haja um companheiro que faça o papel de marcador de ritmo, também há outras maneiras de colocá-lo na sua rotina. Frequencímetros modernos contêm em sua configuração a opção de “coelho virtual”, em que você pode escolher a velocidade do seu pacemaker.

fonte: O2 Por Minuto

Curso básico de Arbitragem em Atletismo

A FNA visando formar novos árbitros para integrar o seu quadro técnico, irá realizar no período de 27 a 29 de agosto e no dia 4 de setembro, um novo Curso Básico de Arbitragem em Atletismo.

O Curso é chancelado pela Confederação Brasileira de Atletismo – CBAt e será promovido pela FNA com o apoio da Universidade Potiguar – UnP.

O curso acontecerá dos dias 27 a 29 de agosto e no dia 04 de setembro.

Inscrições e Contatos

•Tel. (4009-1424 / 8877-7916 – Falar com Breno (Secretário da FNA)
•e-mail (allancbat@yahoo.com.br)

Clique aqui para mais informações.

Saiu o resultado da XV Carreira Jurídica em Natal

Saiu agora pouco os resultados da Carreira Jurídica que aconteceu nesse último sábado (21) em Natal – RN.

Clique aqui para baixar o arquivos com os resultados.

Fonte: Natalcrono

Isso eu também corro!

Não é nada agradável de ouvir, mas é bem comum. Quando falo que pratico corrida de rua, que treino regurlamente, faço musculação, sonho com um tênis bom, ganhei um frequencímetro, sigo uma planilha de treino e participei no último fim de semana de uma prova… Acabo ouvindo: “Isso é moleza, eu também corro!”.

Não! Não corre!

Sabe por que não digo que faço um gol que algum jogador perdeu? Porquê simplismente eu não faço a menor idéia do que é chutar uma bola. Não jogo futebol e não tenho a menor pretenção de jogar. Então se alguém me fala do seu último capeonato do bairro ou coisa do tipo. Dou os parabéns e pronto.

Todo mundo acha que corrida de rua é só sair correndo.

Ainda tem uma coisa legal. É a pergunta: “Chegou em primeiro?”

Como assim?

Se alguém me faz essa pergunta e ela não foi precedida ou vem logo em seguida a afirmação “Isso eu também corro!”, explico sem problemas.

Corro não pela colocação do pódio. Pelo menos não a geral, mas a da categoria, talvez. Corro pelo tempo, meu tempo. Superação. Cada vez um tempo melhor.

Além do que, quem faz essa pergunta nunca viu uma corrida de rua. A galera da elite são tudo desesperados! Saem desembestados! Correm pra dedéu! Os caras correm muito! Fazem normalmente metade do tempo médio da corrida (ou menos).

Correr é institivo, é natural, mas praticar a corrida é outra coisa.

Não acho que seja “Cada um na sua”, até porque essa frase é de uma marca de cigarro. Não concordo com ela. Acho que todos os esportes podem interagir, mas sempre valorizando e respeitando o esforço de cada um.

Quando alguém vem com desdem, faço um desafio. Vamos correr a próxima prova! Dá até pra ouvir um “Eu vou!”, mas nunca vai.

As vezes, já prefiro nem comentar sobre o esporte que pratico. Ainda bem que faço corrida de rua com minha mulher, daí a conversa sempre vai longe. A motivação então, nem se fala.

Vou dar um crédito. Digamos que um desse que diz a frase do título do post consiga terminar uma prova. Agora quanto a acordar cedo para treinar ou participar duma prova em pleno domingo? Investir dinheiro em roupas e tênis só pra treinar? Superar a dor na canela ou no joelho só pra não perder a próxima prova? Isso você faz?!

Não! Não faz!

Saiu resultado da Corrida Duque de Caxias de Recife

Saiu o resultado da Corrida Duque de Caxias que aconteceu nesse último domingo (22) em Recife – PE.

Veja os resultados abaixo:

Fonte: Portal Sou Corredor

Equipe de arbitragem da Carreira Jurídica

fonte: FNA

As vezes falta reconhecimento pelo trabalho.

Não precisei procurar muito pelo pessoal que estava lá na Carreira Jurídica dando o melhor de si para que nós corredores de rua tivessemos uma prova agradável. Vi no site da FNA o nome do pessoal.

Parabéns!

Quem quiser dar uma conferida, clique aqui.

Incrementando o site com Calculadoras

São duas calculadoras disponibilizadas pela Webrun que podem ser inseridas facilmente no código fonte do seu site.

Uma calculadora para Ritmo e outra para Massa Corporal.

Caso queira apenas usar as calculadoras, basta ir no site Webrun.

Não vou colocar as calculadoras no blog, pois acho que fica com coisa demais. Pra quem tem um site, fica mais interessante, pois dá pra organizar melhor o espaço.