Arquivo mensal: janeiro 2011

Como foi a 5a. Mini Maratona do Rangel.

O calor era grande! Acho que sempre reclamo disso. Sempre reclamo do calor. Prometo assim que começar a correr no frio, irei reclamar bastante do frio. Ok?
Bom, continuando…
Pouco antes da saída do hotel em direção a corrida, caiu uma chuvinha que animou a todos, mas bastou chegar no local da prova pra o céu ficar aberto.
A largada atrasou e foi meio estranho. Tava um bolo só de gente. Depois mandaram recuar pra ficar alinhado com o pórtico. Logo em seguida chamaram as mulheres para largar mais a frente. Elas largaram na base do susto, pois foi rojão corneta e grito. Já para os homens foi algo meio que “um tomou a iniciativa e os outros acompanharam”.
Largada dada, pra mim era só manter o rítimo, ultrapassar os afobados que iam ficando pelo caminho e seguir rumo a chegada, mas não foi tão simples assim. O primeiro km apareceu antes do tempo e no segundo tinha uma placa de 4km. Aí todos ficaram se perguntando “O que diabos tava acontecendo?”.
E agora? Apertar o rítimo já que 2km haviam sumido ou manter a estratégia pensando que ainda serão 9km e que apenas trocaram as placas?
O negócio da km errada foi informado na chegada, mas acabou atrapalhando quem tinha se preparado para dar o gás nos últimos km.
Pra mim foi quase que um alívio, pois tava muito quente.
Tinha o posto de hidratação e com bastante água. Apenas a galera tava entregando mas mãos, ao invés de ter uma mesa grande para os atletas pegarem. Tava quente? Sim!
Não sou de beber água e evito me molhar, mas peguei um copo e logo dispensei. Também foi só esse posto, quem precisou de mais água teve que apelar para os moradores que agradavelmente disponibilizaram mangueiras para “aguar” os atletas.
Faltou fiscal, dai teve gente cortando pelas calçadas.
Putz! Taí uma coisa que dá raiva é atleta que não obedece regras tão simples!
Na chegada foi uma coisa doida! Passado o pórtico, você já caia numa fila para pegar o kit lanche (falo já dele), medalha e troféu.
Claro que teve troféu! Afinal isso foi o diferencial da corrida.
Voltando a fila. Caramba, você chegar cansado e ainda ter que freiar daquela maneira sem poder esticar as pernas foi cruel. Gritei logo pelo nosso treinador que me arranjou água.
O kit não tinha fruta. Tinha biscoito (?), doce, bolinhos (?), barra de cereal e chocolate.
Na concentração da chegada não faltou água. Teve gente levando de saco! Eram garrafinhas. Algumas pessoas até disseram que poderiam ter colocado num segundo posto, mas garrafas no trajeto não rola.
O pessoal não respeita a arbitagem! Eram os árbitros tentando apurar as colocações e o povo em cima pertubando.
Ia esquecendo de falar que boa parte do trajeto tava sinalizado com cones. Muito bom!
Teve corrida infantil! Sempre com os pais endoidando.
Não ficamos pra ver as premiações, apesar de não termos ido exatamente logo embora. Ficamos na van esperando enquanto o resto do povo vinha.
Depois hotel e estrada!
Abração.

Anúncios

Livro Caminhos de Nuestra América

Palavras de Carlos Camboim, via Orkut:

No próximo dia 28/01/2011, às 19h00min, na Livraria Siciliano do Midway Mall, o Grupo Rapadura Biker com apoio da ACIRN promoverá uma palestra e lançamento do livro PELOS CAMINHOS DE NUESTRA AMÉRICA – UMA PEDALADA POÉTICA PELOS CONFINS DO CONTINENTE – de autoria de Rafael Limaverde. Quem quiser conhecer um pouco mais da obra é só visitar o nosso blog ou então o sítio: www.bicicletapelomundo.com.br
Contamos com as agradáveis presenças de todos.

Como foi a Corrida de Piedade em Espírito Santo-RN

Tempo nublado prometendo chuva, mas não caiu uma gota.
A largada foi na base do rojão e o povo parece que se assustou e saiu correndo feito doido. Era um no vácuo do outro. A descida do inicio do trajeto ajudou o povo a impor um rítimo forte. O asfalto novo também colaborou.
Tio Ciço que deu a largada. No começo ele tava meio abusado pelo atraso e outros contratempos, mas no final o homem era só alegria.
Corri junto com meu colega Felipe, que foi ditando o pace com seu novo brinquedinho (garmini 410).
Tinha bastante água no caminho, mas pelo clima super agradável não foi tão necessário.
A chegada foi uma festa só. Além da medalha de participação, tinha o kit de frutas com direito a um sachê de iorgute. Muito bom!
Troféus para os 8 primeiros colocados no masculino e os 4 no feminino.
Na comunidade Corrida de Rua – RN no Orkut foi divulgado alguns links para as fotos. Vale conferir a descontração do povo.
Abação.

Como foi a Corrida MC Telecon em Caicó

Quente! Pense numa terra quente é Caicó
Largada no 3,2,1 e saiu todo mundo desembestado em direção a ladeiras, ruas escuras, asfalto esburacado e uma corrida desafiadora.
A Ilha de Santana é um lugar muito bonito e a cidade de Caicó agradável.
O policiamento da cidade foi muito solicito e não só cuidou do trânsito como orientou os corredores durante a prova.
Muita subida e curvas, o que não deixa de ser bom!
Na chegada faltou água e frutas. Fora que antes da largada vimos um cara cortando as frutas, degustando e limpando o nariz. Depois cortava mais frutas, degustava novamente e mais uma vez limpava o nariz!
Foi legal ter o trajeto pelas ruas da cidade. Assim foi possível conhecer um pouco de Caicó.
Achei estranho não ter Picolé Caicó em Caicó, mas o Slup substitui a altura. (Sem merchan. Não tô ganhando nada)
Teve premiação para o Geral e troféus para as Categorias. Medalhas para todos que concluiram a prova.
Acho que foi só.
Abraço.

Só uma corridinha.

Aniversário Carlos Dias (ontem)

Carlos Dias, 38 anos, nasceu em São Bernardo do Campo (SP). É formado em administração de empresas e pós-graduado em psicologia organizacional – RH. Atualmente é organizador de corridas e palestrante e tem participado de ultramaratonas e desafios.

Principais Provas

1998 – Junho – Comrades Marathon África do Sul – 90km
1998 – Dezembro – NYC Marathon – 42,195km
1999 – Maio –  Apeldoorn Holanda IAU – 24horas
1999 – Dezembro – Deserto do Arizona (EUA) – 432km
2000 – Abril – Rio de Janeiro a São Paulo – 500km
2001 – Dezembro – Deserto do Arizona (EUA) – 432km
2002 – Dezembro – Deserto do Arizona (EUA) – 432km
2003 – Março – 1.000 milhas brasileiras (1.600 km) Porto Seguro (RJ) a São Bernardo do Campo (SP)
2003 – Setembro – Jungle Marathon na floresta amazônica – 250 km
2004 – Maio –  Apeldoorn Holanda IAU – 24horas
2004 – Setembro – Jungle Marathon na floresta amazônica – 250 km
2004 – Outubro – Ecomotion na Bahia – 500 km
2006 – Setembro – Jungle Marathon na floresta amazônica – 250 km
2007 – Maio e Setembro – Desafio Oiapoque ao Chuí – 9.000 km em 100 dias – livro dos recordes
2008 – Janeiro – BR135 Serra da Mantiqueira –  217 km
2008 – Junho – Gobi March China – 250km
2008 – Outubro – Saara racing – 250km
2008 – Novembro – Last Desert – 250km
2009 – Abril Atacama desert – 250km
2009 – Setembro/outubro/novembro 5.100km em 59 dias cruzando correndo de  leste a oeste os EUA .

2010 – Dando a volta no Brasil.

Como foi a 2ª Corrida Ecológica do RN

A concentração não podia ser melhor, uma casa rodeada de verde um com um chuveiro já a espera dos atletas ao final da corrida.

Largada (quase) no horário e no melhor estilo “sai da frente”!

O trajeto era ótimo, todo em terra batida e com algumas poças de lama para pular. Fomos até o final de uma estrada e voltamos, totalizando os 7.300 metros.

O céu estava aberto com o sol bem fraquinho. Muito vento e um ar que enchia os pulmões de saúde. Teve um posto de hidratação, que equivalia por dois, já que podia pegar água na volta. Foi avisado antes da largada para não jogar os copos de água no percurso, mas o povo é bem legal e teve gente que jogou. Pra compensar, alguns corredores cataram os copos dos sem noção.

Na chegada tinha muita fruta, água, chuveiro e um tanque.

Nossa grande alegria foi na premiação ao conquistarmos o terceiro lugar na categoria casal. Minha esposa correu com duas lesões (canela) e dores fortes no joelho, mas não parou nem caminhou um minuto sequer.

Pódio Categoria Casal. Somos os da direita.

Até a próxima.

Aniversário – Mark Korir (ontem)

Mark Korir, corredor queniano da equipe Fila.

Figurou em 2010 nas corridas de rua do Brasil.

Venceu a Corrida da Longevidade (Rio), segundo na Volta da Pampulha (BH), oitavo na São Silvestre (SP) e por aí vai.

Aniverssário – Robert Garside

Robert Garside, conhecido por The Runningman, é um corredor britânico que foi reconhecido pelo Guinness World Records como a primeira pessoa a correr ao redor do mundo.

Referência: Wikipédia, Site Oficial, Guinness.

1ª Corrida da Piedade | Espírito Santo-RN

1ª Corrida da Piedade.

Largada e chegada em frente a Igreja, seguindo o mesmo percurso da 1ª corrida tio ciço (aquela ladeirinha).

Dia: 22/01/2010
Hora: 16 horas

Medalha para todos os atletas

Máximo de 100 inscritos (masculino e feminino)

Troféu para os primeiros colocados na categoria Geral.
Inscrições:

Assis (84) 9182.2811

R$ 5,00 + 1kg Alimento

Vi no NatalCrono.

obs. Falei a pouco com o Assis e este informou que amanhã terá a distância da corrida.